Utilizar a Chave Móvel Digital (CMD) para faturação eletrónica

O Facturama suporta a assinatura de faturas eletrónicas com o serviço da Chave Móvel Digital (CMD), o que permite assinar as faturas eletrónicas com o certificado qualificado associado ao Cartão de Cidadão.

Características do serviço da Chave Móvel Digital

  • Serviço disponibilizado pelo Estado português sem custos de utilização.
  • Apenas disponível para pessoas singulares.
  • Requer a autorização e confirmação manual pelo titular da conta para a assinatura de cada documento emitido (os documentos não são automaticamente assinados).
  • Mais informações sobre a assinatura com CMD na plataforma Autenticação.gov.

Ativar serviço de Chave Móvel Digital no Facturama

  1. Aceda às definições (ícone Roda dentada do menu).
  2. Selecione Assinatura Eletrónica.
  3. Clique no botão Utilizar CMD.
  4. Clique no botão Ativar CMD para confirmar a ativação.

Assinar uma fatura com a Chave Móvel Digital

  1. Depois de emitir uma fatura eletrónica ou outro documento eletrónico, clique no botão Assinar com CMD. Botão assinar com CMD
  2. Confira o documento a assinar e autentique-se com o seu Telemóvel e PIN de Assinatura. Formulário de autenticação CMD
  3. Introduza o código de segurança recebido no telemóvel para confirmar a assinatura do documento. Formulário de autenticação CMD
  4. O documento fica disponível logo que a assinatura seja concluída.

Segurança da utilização da Chave Móvel Digital

Para assinar os documentos eletrónicos, o utilizador tem de introduzir o seu número de telemóvel e PIN de assinatura no Facturama. Contudo, o Facturama está certificado para utilizar o serviço da Chave Móvel Digital de forma completamente segura.

O número de telemóvel, o PIN de assinatura e o código de segurança são encriptados diretamente no browser do utilizador (antes de serem enviados para o servidor) com recurso à chave pública da AMA (entidade gestora do Autenticação.gov). Como tal, apenas o serviço Autenticação.gov consegue ler esses dados – nem o Facturama nem nenhum terceiro que pudesse intercetar a comunicação conseguiria ler a informação.